Connect with us

Digite aqui o que você está procurando!

ENTRETENIMENTO

Globoplay revisita a black music no documentário ‘Chic Show’

Globoplay revisita a black music no documentário 'Chic Show'
Foto: Jorge Garcia

Para quem gosta de tramas que passeiem por temas como música, história e negritude brasileira, a pedida desse final de semana é mergulhar na estreia do novo documentário Chic Show, uma produção original da Globoplay, que entrou na plataforma nesta quinta-feira (31), narrando a história da festa de black music que revolucionou a cena cultural da juventude negra de São Paulo.

A partir de 1968, os bailes fundados por Luiz Alberto da Silva, o Luizão, tiveram impacto fundamental na carreira de grandes nomes como Gilberto Gil, Jorge Ben Jor, Sandra de Sá e Carlos Dafé, que se apresentaram na festa, além da influência sobre frequentadores como Péricles, Thaíde, Rappin’ Hood, Júnior Vox, Marquinhos Sensação e Salgadinho.

Globoplay revisita a black music no documentário 'Chic Show'

Foto: Jorge Garcia

Com uma pesquisa robusta e entrevistas emocionantes, o longa passeia pelos 50 anos de criação da festa, contados pelo próprio Luizão e pelos artistas que ali passaram. Mais do que reunir jovens para dançar e se divertir, a Chic Show se tornou um espaço de acolhimento, resistência e enaltecimento da cultura negra. De acordo com o cantor Péricles, um dos entrevistados do doc, a festa surgiu num momento em que o jovem negro andava cabisbaixo.

“A atitude de montar um baile faz com que esse jovem negro queira andar melhor vestido, com o seu cabelo, que é a sua coroa, cada vez mais para cima. Um porte maior, sabendo quem era, de cabeça erguida. Sem ter medo”, relembra o artista.

Globoplay revisita a black music no documentário 'Chic Show'

Foto: Jorge Garcia

Com o passar do tempo, a Chic Show evoluiu de uma festa que tocava discos para o point que recebia grandes talentos a preços acessíveis, como Tim Maia e até mesmo James Brown, sucesso internacional. Segundo o diretor geral da obra, Emílio Domingos, o documentário “não é só sobre música, cultura, hábitos, mas sobre a história do negro paulistano”.

Além de soul, funk, hip-hop e rap, o evento foi responsável por promover o pagode nos anos 1990 e pelo surgimento de grupos como Sampa Crew, Soweto e Grupo Sensação. O filme documenta como os bailes ajudaram a construir o imaginário coletivo de valorização da juventude negra à época, pilar que se sustenta até hoje e, agora, pode ser revisitado pelas próximas gerações.

Chic Show tem supervisão artística de Rafael Dragaud, direção geral de Emílio Domingos, direção de Felipe Giuntini, roteiro de Milena Manfredini e produção de Anelise Franco.

A direção de gênero de Variedades é de Mariano Boni.

Matéria escrita por

Leia também

ENTRETENIMENTO

A TV Globo está planejando fazer um remake da novela Vale Tudo em 2025 e cogita convidar Lidia Brondi para o elenco da nova...

ENTRETENIMENTO

Ainda sem data definida de estreia, o SBT está preparando uma nova plataforma de streaming da emissora de TV, o +SBT. De acordo com...

ROCK

No último sábado (8), os cantores Pitty e Emicida encerraram o festival João Rock, em Ribeirão Preto. Eles apresentaram o show inédito Travessia. “Mais...

ROCK

Os cantores Pitty e Emicida se apresentarão juntos no festival João Rock, no próximo sábado (8). O show exclusivo, chamado de Travessia, contará com...